Como você gerencia suas emoções no trabalho?

emoção-no-trabalhoImaginemos que as pessoas possam aprender a como gerenciar suas emoções de modo saudável e eficaz, isso significa que elas têm de adotar habilidades de como saber dominar suas emoções que não causem atitudes defensivas e que não venham bloquear suas habilidades de como motivar, facilitar e lidar com quaisquer situações de ordem conflitiva.

Por exemplo, uma pessoa gerenciando uma companhia com milhares de funcionários, tendo que tomar decisões importantes no dia-a-dia e, ao mesmo tempo, enfrentar reuniões decisivas, mais não ser capaz de confrontar expectativas frustradas de modo eficaz, você pode acabar sofrendo grandes consequências pessoais, sociais e organizacionais.

Educar o “Eu” para exercer seus papéis vitais que beneficiam o funcionamento da psique, é aprender um conjunto de habilidades de como gerenciar suas emoções de forma saudável, profunda e estável. Administrar os pensamentos para aquietar a ansiedade; e libertar a criatividade são alguns dos elementos importantes e decisivos para saber lidar com as emoções.

Uma pessoa ansiosa, estressada, rígida, impulsiva e pessimista pode bloquear seu desempenho de modo significativo, além de dificultar a sua motivação mais do que tem consciência. Com isso, por exemplo, um profissional aplicadíssimo que sabe acessar todo o corpo de informações de sua área, mais num determinado tempo anda tenso diante de um conflito interpessoal, certamente haverá uma diminuição do seu desempenho e, consequentemente, o seu rendimento será menor devido a pressão interna que a mente é capaz de exercer, impactando assim negativamente a qualidade de vida.

Treinar e proteger a sua emoção é um papel primordial, pois quem sabe protegê-la tem chances de viver melhor e com mais qualidade. Agora em qual escola nós somos educados para filtrar os estímulos estressantes e poupar o desgaste emocional? Há muitas armadilhas em nossa mente, onde a pessoa pode estar sendo uma dessas vítimas.

Embora o efeito do tempo seja inevitável no envelhecimento do corpo, sob o enfoque da gestão da emoção há uma área em que jamais deveríamos envelhecer – o território da emoção. Se a pessoa não souber gerenciar adequadamente suas emoções, a pessoa pode envelhecer mais rapidamente, criando assim uma série de obstáculos em sua vida.

Diante dos confrontos emocionais, os sintomas mais comuns que podem dificultar o potencial de uma pessoa são: tomada de decisão, iniciativa, baixa motivação, tendência a reclamar, de querer tudo rápido e pronto, além de se tornar uma pessoa imediatista não sendo capaz de confrontar expectativas dentro do seu tempo e tornar-se sempre insatisfeito. Ou seja, nada está bom e a pessoa pode ter consequências na ordem pessoal, social e organizacional.

Como treinamento para controlar as emoções e saber lidar com os problemas do dia-a-dia, algumas Técnicas de Gestão da Emoção podem ajudar a ser um consumidor emocional mais equilibrado. Contudo, o processo pode não ser rápido para algumas pessoas em função da impossibilidade de apagar da memória situações que contém conflitos que impendem o crescimento emocional, tais como: impulsividade, autopunição, culpa, fobias, ansiedade generalizada, entre outras.

As técnicas de Gestão da Emoção que serão apresentadas neste blog serão ferramentas importantes que podem auxiliar da melhor forma de como capacitá-lo a gerenciar suas emoções.

Muitos preservam seus conflitos, incluindo traumas e falsas crenças centrais, durante toda a sua vida, a necessidade de ser perfeito impede-nos de sermos capazes de “olhar internamente” as dificuldades psíquicas que adquirimos ao longo da vida.

Quando decidimos romper as barreiras emocionais do passado para facilitar o nosso desempenho, no âmbito profissional ou, até mesmo no familiar e social, essa oportunidade de auto avaliação será uma habilidade aplicada no esforço de como você gerencia suas emoções.

No próximo post sobre esse mesmo tema será apresentado uma série recomendações de como gerenciar a emoção, porém agora lhe convido para uma reflexão antes de partimos para iniciar a jornada das emoções.

Você auto avalia seu estado emocional para gerenciar suas emoções? Você considera fácil essa tarefa?

Você conhece o limite das suas emoções? A sua agitação mental já desencadeou quais sintomas/ ou comportamentos?

  • Diminuição da capacidade de negociação;
  • Bloqueio das habilidades;
  • Dificuldade de pensar antes de reagir;
  • Facilidade de reclamar e dificuldade em propor soluções e melhorias;
  • Fadiga intensa e insônia;
  • Baixa tolerância para lidar com frustrações e contrariedades;
  • Doenças psicossomáticas;
  • Diminuição do potencial e da criatividade.

Por: Luciane Rodrigues – Corporate Development and Personnel Manager – ERP Marketplace

Fontes pesquisadas:

Jonh Writmore. Coaching para performance. 2012

Augusto Cury. Gestão da Emoção. 2015

Joseph Le Doux. O cérebro Emocional. 2011

Daniel Goleman, O cérebro e a Inteligência Emocional – Novas Perspectivas. 2012

Paulo Vieira. O poder da Ação. 2015

Rubens Marcelo Volich. Psicossomática. 2000

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *